[ editar artigo]

Como funciona o pró-labore

Como funciona o pró-labore

Todo empreendedor que sai do mercado de trabalho como funcionário para entrar no mercado como empresário está em busca de uma liberdade financeira. Saiba com o Projeto Jovem Empresário como funciona o pró-labore.

 

Todo empreendedor tem que estar apaixonado pela sua ideia para fazer o seu negócio dar certo, mas mais do que paixão, o que mantém todo empreendedor de pé mesmo é o dinheiro, tanto para sobreviver quanto para rodar o seu negócio. Como a maioria dos empreendedores busca um novo negócio para ser a sua fonte de renda, é importante você saber como funciona o pró-labore.

A primeira coisa que o empreendedor deve saber antes de qualquer coisa é que o pró-labore é a última coisa que ele vai tirar do seu negócio. Primeiro deve vir o investimento necessário para iniciar o negócio, depois o fluxo de caixa para fazer o negócio rodar. Na sequência, reservar um capital para investimento, expansão e atualização do negócio. Por fim, se a empresa sobreviver e gerar receita para permanecer no mercado, aí sim o empreendedor deve tirar o seu pró-labore.

Sim, empreendedor, você irá trabalhar muito mais do que quando era funcionário e, pelo menos por algum tempo, sem nenhum salário. Claro que cada caso é um caso e cada negócio tem a sua própria dinâmica. Se a necessidade do empreendedor for maior do que a possibilidade de esperar o negócio ficar mais rentável, deve ser previsto desde o planejamento a retirada deste dinheiro para o empreendedor.

Esta retirada não ocorre simplesmente como um dinheiro que é sacado da conta corrente. O pró-labore é um pagamento que a empresa faz para o sócio e, portanto, deve entrar no registro contábil da empresa. Tem que ter registro de entrada e de saída. Isto impacta diretamente na declaração de imposto de renda tanto da pessoa jurídica quanto da pessoa física.

Portanto, na estruturação do negócio, a formalização da empresa deve ser bem planejada para não implicar em uma incidência maior de impostos. A escolha do ramo de atividade da empresa, o regime jurídico e o regime de tributação impactam diretamente nisto. Dependendo do tipo do seu negócio e da quantidade de pró-labore que o sócio, ou sócios, pretendem retirar, o enquadramento jurídico e contábil da empresa pode mudar.

Ah, talvez você ainda não saiba, mas pró-labore não é salário. Você não terá direito a 1/3 de férias, você não terá 13°, você não terá FGTS e, principalmente, você não terá direito a previdência. Portanto, coloque na conta do seu pró-labore uma boa margem de reserva para fazer uma poupança para as emergências e uma reserva para a aposentadoria.

Mas a parte boa disto tudo é que o tamanho do pró-labore vai depender do tamanho do empenho do empreendedor em levar o seu negócio adiante. Não há limites para o quanto o empreendedor possa retirar, o fator limitante vai ser o quanto que o empreendedor consegue levantar de faturamento da sua empresa. Tenha certeza, ao contrário do seu emprego, nos eu negócio quanto mais você trabalhar mais resultados para o seu bolso você vai gerar.

Coloque em prática o seu pró-labore hoje. A Comunidade Empreendedora tem os melhores mentores com as melhores experiências para compartilhar com você. Participe agora e trabalhe o perfil empreendedor para o seu negócio. E aproveite, quanto mais você trabalhar pelo seu negócio, maior será a sua recompensa.

Aproveite também a parceria com nosso ecossistema empreendedor, compartilhe agora e comece a colher as recompensas de ser um membro da Comunidade Empreendedora.

Comunidade Empreendedora
Projeto Jovem Empresario
Projeto Jovem Empresario Seguir

Projeto Jovem Empresario

Ler matéria completa
Indicados para você