[ editar artigo]

O cotidiano do empreendedor e a saúde mental

O cotidiano do empreendedor e a saúde mental

Você já tentou digitar empreendedorismo num site de buscas na internet e “dar enter”? O que você encontrou? Não o fez? Aproveite para fazer agora...

Sim, vemos uma aglomeração de símbolos muito parecidos: ideias, metas, cérebros, um bonequinho atingindo o topo, o que claramente nos indica “obtive sucesso”. Sim, concordo com tudo isso. O empreendedor deve ser uma pessoa focada em seus objetivos, deve ter metas claras, disciplina e buscar o sucesso sempre. É aí meu amigo leitor que falta um ingrediente importantíssimo: o cuidado com a saúde mental. Cuidar da psique não é questão de luxo, mas sim de sobrevivência.

Estamos tão abastados com a correria cotidiana, com as horas de locomoção até o trabalho, com a competitividade, compromissos e mais compromissos que acabamos por nos deixar de lado. Mas aí eu te pergunto: você não cuida da sua saúde física, biológica? Você não toma um medicamento quando está com dor de cabeça? Não bebe água para que seu organismo funcione na mais perfeita ordem? E por que deixar então essa incrível máquina que mantém tudo isso aí funcionando de lado?


“Mas Hellen, eu não tenho tempo ou acesso à terapia.” Não é à isso que me refiro meus queridos. O que quero dizer é que da mesma forma que você não aguenta ficar dias sem ir ao banheiro, nossa mente precisa de “escapes”. Aí vem a pergunta “como fazer isso?” Simples: nós nos constituímos enquanto pessoas a partir de experiências. Se eu te perguntar agora se você prefere azul ou rosa, você terá uma resposta para me dar e essa saiu da sua experiência de vida. Por que não usar suas preferências a seu favor? Por que você não pode fazer uma atividade extremamente exaustiva ouvindo uma música que gosta?

Por que não pode fazer pausas para voltar “a todo vapor” ao invés de ficar horas tentando encontrar soluções através de um organismo cansado? Por que o seu trabalho não pode ter a sua cara?

Aproveite e traga elementos que fazem bem à sua mesa, seu espaço.
Infelizmente isso não é o suficiente para dirimir todo o risco do aparecimento de uma patologia, afinal o dia a dia de um empreendedor não é nada fácil: ansiedade, pressão, angústias o rodeiam a todo tempo e, se não levadas à sério, se encaradas somente como uma etapa ruim no trabalho, isso pode se tornar um transtorno e acabar com sua saúde mental e afinal, um empreendedor, como um bom ser humano, necessita da sua em plenas condições, não é mesmo? Então meu caro/minha cara, nos faça um favor a fim de continuar nesse mundo empreendedor e dê espaços para que o ser humano que estava aí antes de começar a labuta de um trabalhador brasileiro possa dar as caras vez ou outra e te lembrar o que te faz sorrir.


Aproveite que no mês de setembro somos bombardeados (e com motivo) por campanhas que visam a prevenção ao suicídio e faça essa autorreflexão, pois entre um estresse por conta do trabalho e um transtorno psiquiátrico, não sabemos quão curto é esse caminho.


Para encerrar, te deixo alguns pedidos e perguntas:
1. Faça uma comparação com seguintes dados: onde eu estava e o que eu tinha a dez, a cinco e a um ano atrás.
2. Se você fosse incapaz, teria conseguido avançar o tanto que conseguiu?
3. Divida uma folha A4 em três, anote uma meta em cada parte (seja realista, não me venha com “ganhar na loteria”, escolha algo que realmente dependa de você). Depois, em formato de um mapa mental, coloque de um lado as coisas que você precisa para alcançar esse objetivo e de outro o que você já tem. Coloque-o em um lugar visível.
4. Escolha um objeto de sua casa que você goste para levar ao seu espaço, à sua mesa em seu trabalho.
5. Não esqueça da sua vida pessoal.
6. E como diria Pedro Bial, use filtro solar!!!

Comunidade Empreendedora
Hellen Rocha
Hellen Rocha Seguir

Psicóloga, professora universitária, amante de viagens e MMORPG's...

Ler matéria completa
Indicados para você